10 de jan de 2005

casos relatados

-Hugo Chávez x meios de comunicação

Desde 2002, o governo de Hugo Chávez, na Venezuela, é dos mais conturbados, particularmente na sua relação com a imprensa privada do país. O presidente Venezuelano sofreu um golpe de Estado em abril de 2002, enfrentou uma crise generalizada no país até 2004, pelo menos, e nesse mesmo ano teve seu mandato submetido a consulta popular.
A relação de Chávez com os jornalistas venezuelanos nunca havia sido muito boa, principalmente porque a grande maioria destes é declaradamente contra o presidente. A partir do golpe de abril de 2002, no entanto, a situação só se agravou. A cobertura dos fatos, além de ser totalmente parcial, contra o governo, acabou levando a um estado de caos na capital, Caracas. Chávez chegou a ser deposto, mas a notícia foi de que tinha renunciado. As manifestações por sua volta foram simplesmente ignoradas pela imprensa. Mesmo após o seu retorno, a perseguição às empresas de comunicação continuaram, por iniciativa dos dois lados.
Nem as reclamações dos jornalistas, que clamavam por liberdade de imprensa, nem as críticas à sua parcialidade, feitas pelo governo, levaram a uma solução pacífica. Pelo contrário, só incitaram ainda mais a população à violência. Aparentemente, o problema foi resolvido, ou pelo menos deixado de molho, com o referendo popular que confirmou Hugo Chávez no poder.

0 interações:

Postar um comentário