20 de nov de 2010

Análise da mídia nas escolas

Por Rodrigues Alves

No último debate promovido pelo SOS Imprensa (no dia 16/11), os alunos presentes tiveram a oportunidade de discutir sobre a necessidade da criação de uma disciplina que analise criticamente as atividades da mídia nas escolas públicas e privadas em todo o país.

Existe um projeto de lei, de autoria do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que inclui a disciplina "Leitura e Educação para as Mídias" no currículos dos ensinos fundamental e médio, a partir do sexto ano.

Pelo projeto, os alunos devem refletir sobre o que é publicado pelos meios de comunicação, de acordo com critérios éticos, morais e, principalmente, constitucionais. Além disso, o PL sugere que, nas escolas, os alunos, orientados pelos professores, tenham a possiblidade de produzirem conteúdos para serem divulgados em plataformas midiáticas (jornais, blogs, documentários etc.).

A tramitação do projeto de lei é abordada na reportagem produzida por Geórgia Moraes, da Rádio Câmara. Um dos coordenadores do SOS Imprensa, o professor da Faculdade de Comunicação da UnB, Luiz Martins, argumenta, na matéria, que é preciso conscientizar as pessoas sobre o papel da mídia na sociedade e também como exigir seus direitos de cidadãos.

O tema também foi discutido na I Conferência Nacional da Comunicação (Confecom), realizada em dezembro do ano passado. Uma das resoluções prioritárias aprovadas por setores do governo e da sociedade civil é justamente:

"Criar políticas públicas que visem a capacitação da sociedade envolvendo os debates teóricos, político e técnico sobre Comunicação, incluindo leitura crítica da mídia e o debate estético, proporcionando orientações à sociedade para compreensão e fiscalização de questões atinentes às comunicações e seus reflexos na produção de subjetividades, com destaque para as decorrências sociais da propaganda e da publicidade."

Por fim, como o projeto de lei sugere a reformulação dos currículos do curso de comunicação social para a inclusao de um curso de licenciatura (ou de disciplinas de licenciatura), os presentes ao debate comentaram a criação do curso de Educomunicação pela Escola de Comunicação da USP. O curso tem início em fevereio do ano que vem (o vestibular para ingresso teve concorrência de 4,27 candidatos por vaga). É interessante também se analisar a necessidade desse novo tipo de profissional: o educomunicador (arquivo em .pdf).

0 interações:

Postar um comentário