4 de jun de 2014

Segurança dos Jornalistas nas manifestações contra a Copa do Mundo

Por Beatriz Sá

De acordo com o Comitê para a Proteção aos Jornalistas (CPJ), apenas em 2013 quatro jornalistas morreram no Brasil no exercício da profissão. Tais mortes fizeram do país o quarto com mais mortes de jornalistas neste ano, ficando atrás apenas da Síria, Egito e Paquistão. Por esse motivo, a segurança dos Jornalistas nas Manifestações durante a Copa do Mundo é um debate muito importante.
No dia 21 de maio, o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJPDF) discutiu medidas de segurança na cobertura da Copa do Mundo. A possibilidade de manifestações durante o período da Copa e o histórico de agressões aos profissionais da imprensa durante as coberturas em protestos foi o que motivou encontro. A abertura da Copa ocorrerá na próxima semana, 12 de junho, e estima-se que 20 mil jornalistas vão trabalhar no evento. Porém, destes 20 mil, apenas 1,5 mil se credenciaram na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o que preocupa o Sindicato.


Campanhas educativas, criminalização das agressões e a disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras e capacetes, foram algumas das medidas sugeridas para assegurar o trabalho da imprensa nestes eventos. O direito do jornalista de se retirar do evento caso identifique uma situação de risco também foi garantido pelo SJPDF.
É necessário garantir a proteção dos profissionais de comunicação. Os jornalistas precisam ser respeitados – tanto pelos manifestantes, quanto pelas forças policiais (responsáveis por mais de 80% das agressões aos profissionais da imprensa nas manifestações passadas) - permitindo que eles exerçam o trabalho de garantir a informação para a sociedade.

Para Marcelo Moreira, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), “sem a imprensa, a sociedade fica muda, sofre um cerceamento de informação e empobrece. Para que o país seja democrático e evolua, é importante que a imprensa seja livre”. O jornalista está nas manifestações para informar a sociedade. Ataque a jornalistas é ataque aos direitos humanos e à liberdade de expressão.


0 interações:

Postar um comentário